Desintoxicação Dependência Química

Desintoxicação Dependência Química


O consumo excessivo de drogas provoca diversas alterações no organismo, fazendo com que o cérebro acabe se acostumando com essas reações. Quando uma pessoa com Dependência Química se encontra no fundo do poço e já não tem mais forças para sair dessa situação, a possiblidade de interná-la numa clínica de desintoxicação se faz presente e extremamente urgente.

A pessoa quando faz uso de drogas pesadas, não consegue ter o controle do seu corpo, o que faz com que ela tem ações que não condizem com o comportamento de uma pessoa normal. Essas ações podem ser incontroláveis e difíceis de serem contornadas, pois há uma verdadeira transformação da pessoa, fugindo do seu estado normal, indo para um lado geralmente todo diferente da personalidade que possui quando está sóbria.

E essas ações e reações que a química causa no corpo que fazem o cérebro sofrer, deixando-o debilitado, o que é perigoso, pois pode vir a causar um acidente grave, como um derrame, um acidente vascular cerebral, um aneurisma. E, caso isso aconteça, é um pulo para a morte.

Muitos estão entregues à própria sorte e não conseguem sair dessa vida. Já outros, têm a chance de poder superar o vício e começar uma nova fase na vida, mudando radicalmente.
Quando a pessoa viciada não tem a força para querer sair do vício das drogas, ele procura uma clínica para fazer um tratamento para a desintoxicação das drogas. Mas caberá a ele ter essa consciência. Nem sempre uma internação forçada resolve o problema. A força estará com a pessoa, assim como o querer sair desse mundo.

É claro que as clínicas de desintoxicação têm um papel fundamental para essa reabilitação, mas se não partir da pessoa querer sair dessa vida, o seu tratamento será muito mais dolorido.

Com isso, a ideia deste texto é falar um pouco mais sobre como funciona essa desintoxicação por dependência química. Quando a pessoa inicia o processo de reabilitação, a clínica de desintoxicação assume o seu fundamental papel, mostrando ao paciente que, por mais que seja doloroso e sacrificante passar por esse momento, a abstinência trará benefícios incalculáveis para o seu futuro.

Com isso, será mostrado como funciona o tratamento de desintoxicação de drogas. Todas as etapas desse processo são importantes e serão faladas para que você as conheça.
Vamos a elas!

O apoio dos familiares é muito importante

A clínica de desintoxicação irá explorar diversas opções de tratamento e reabilitação, de acordo com o perfil de cada pessoa. Esportes, laborterapias, uma boa alimentação, são algumas das maneiras mais eficientes que ajudam a desintoxicar os pacientes.
Para isso, é necessário entender que o apoio dos familiares, amigos e dos profissionais da área é essencial para o sucesso do tratamento. É vital que se construa uma rede de pessoas que ajudem na recuperação, fazendo com que haja novas saídas sociais.

Primeiro passo para a desintoxicação

O tratamento se inicia com a desintoxicação intensiva inicial. É nesse primeiro passo que o intuito de controlar as crises de abstinência começa, abstinência que se dá devido à falta de drogas no organismo. Essa geralmente é a parte mais difícil, pois o dependente se sente mais frágil, com a autoestima e a confiança abaladas.
Nos três primeiros meses de tratamento dentro da clínica serão destinados à limpeza do organismo, eliminando todos os resquícios de drogas encontrados nele. Para minimizar todo o estresse causado por essa etapa, o desconforto da abstinência e os pensamentos negativos, é recomendado que o paciente pratique atividades das quais gosta de fazer, como futebol ou qualquer outra atividade física que irá estimular a produção da serotonina, o hormônio responsável pelo prazer.

O organismo respondendo à desintoxicação

A falta de drogas no organismo do paciente fará com que ele sofra diversas reações no seu corpo, já que, ao parar de usar drogas, o seu cérebro será “realinhado” e produzirá sensações de adrenalina geradoras de abstinência. Esses sintomas vão variar de acordo com o tipo de pessoa e a droga foi utilizada.
Algumas drogas produzem abstinência física, outras emocional, mas todas elas causam alguma reação no dependente. As reações observadas são:

  • Irritação;
  • Inquietação;
  • Insônia;
  • Falta de concentração;
  • Depressão;
  • Crises de ansiedade;
  • Isolamento social;
  • Tremores;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreias;
  • Dificuldades em respirar;
  • Sudoreses;
  • Tensão muscular;
  • Taquicardia;
  • Dor no peito.

O que fazer para diminuir esses sintomas?

Lidar com os sintomas do processo de desintoxicação não é tarefa fácil. É preciso muita paciência e persistência. O corpo apresentará diversas sensações ao mesmo tempo, o que é absolutamente normal, por isso que é importante respeitar as próprias limitações. Outra coisa que ajudará é uma boa alimentação. Fazer uma refeição saudável, com alimentos ricos em vitaminas e proteínas, deixará o corpo mais reativo quanto à abstinência, fazendo com que a recuperação se dê de uma forma melhor.
Praticar exercícios também é uma maneira de minimizar os sintomas, pois o corpo estará em movimento, liberando os hormônios que proporcionam a sensação de prazer.
Quanto ao tempo de desintoxicação, o período irá variar de acordo com cada pessoa, respeitando um tempo mínimo de seis meses. Os três primeiros meses são dedicados à desintoxicação e os outros três, à conscientização.

Os principais cuidados durante à recuperação na clínica

O primeiro cuidado a ser seguido é mudar o estilo de vida. O paciente deverá parar de ter relacionamento com as pessoas que continuam consumindo a droga. Além disso, deverá evitar pessoas e ambientes que poderão levá-lo a ter uma recaída.
Buscar novas fontes de prazer é primordial, mais ainda se for praticar atividades físicas. Porém, é importante que se tenha cuidado com alimentação, e com a aparência. Isso ajudará a controlar a ansiedade e manterá a abstinência do dependente, indicando um novo caminho a seguir.

Busque a clínica de reabilitação que melhor tratará, não só do paciente, mas também dos familiares e amigos.