Clínica de recuperação em Santa Catarina

Clínica de recuperação em Santa Catarina


As pessoas que estão a procura de uma clínica de recuperação em Florianópolis – SC para conseguir o tratamento de dependência química e alcoolismo para um dependente químico, certamente já ouviu o termo internação involuntária. Mas o que isso realmente significa? Como é feito o tratamento?
Ao longo desse post serão apresentadas algumas informações que irão auxiliar na solução desse tipo de dúvida, além de esclarecer de que maneira os familiares e/ou responsáveis podem ajudar os indivíduos que recusam o tratamento para cura da dependência. Confira:

Como ajudar a quem não aceita tratamento?

Essa é uma realidade cada vez mais frequente, sobretudo porque a maioria dos dependentes químicos não tem consciência da gravidade do seu problema e das consequências que o consumo de álcool e drogas provoca em suas vidas. Geralmente, quando eles são questionados, afirmam que não precisam de nenhum tipo de tratamento e continuam consumindo substâncias psicoativas.
Mas como fazer com que ele aceite o tratamento? Nesses casos, o apoio da família é essencial, assim como a assistência de uma equipe de profissionais especializada no tratamento de dependência química e alcoolismo como forma de reverter à situação em que o indivíduo se encontra. Eles poderão ajudar os usuários a se conscientizar sobre a sua condição.
Para que isso aconteça, é preciso que os familiares recorram a uma medida mais drástica, como a internação involuntária, na qual o usuário será submetido a um tratamento intenso para diminuir e/ou eliminar a sua dependência química. É importante destacar que essa medida deve ser analisada cuidadosamente pelos familiares, com a ajuda dos profissionais da clínica de recuperação em Santa Catarina – SC.

Como funciona a internação involuntária?

A internação involuntária é amparada pela Lei n. 10.2016 de 2001, que dá o direito aos familiares e/ou responsáveis do dependente químico a solicitarem a sua internação em uma clínica de recuperação em Santa Catarina – SC, contanto que ela seja anexada a uma liberação do médico especialista.
Nesses casos, a instituição precisa notificar ao Ministério Público em um prazo de até 72 horas sobre a internação, o tratamento e os seus motivos. É de suma importância que a família conheça esses procedimentos, pois assim será possível fazer a solicitação de maneira adequada.
Outro ponto que merece destaque é a necessidade dos familiares e/ou responsáveis averiguarem se a instituição está devidamente registrada e autorizada para fazer a internação involuntária e realizar o tratamento de dependência química e alcoolismo adequado para todos os dependentes químicos.

Principais etapas da internação involuntária

Durante a internação involuntária, o paciente será submetido a alguns métodos de tratamento que o auxiliarão no processo de reabilitação da sua dependência química. São eles:

Desintoxicação

A desintoxicação é a primeira etapa do tratamento de internação involuntária. Nela, o paciente deverá realizar alguns exames médicos, para que seja avaliado, a sua saúde e se há algum órgão danificado pelas substâncias químicas.
Nessa etapa, uma equipe médica irá iniciar o processo de desintoxicação, no qual, são prescritos medicamentos que reduzam os efeitos da abstinência e acelerem a desintoxicação do organismo.

Conscientização

A segunda etapa do tratamento é a conscientização no qual, é realizado um acompanhamento psicológico com o paciente com o objetivo de resgatar valores positivos que a reabilitação pode proporcionar a sua vida. Geralmente, podem ser realizadas sessões individuais e/ou em grupos, mas sempre com a supervisão de uma equipe de profissionais capacitados.

Ressocialização

A ressocialização marca o fim do tratamento de dependência química e alcoolismo, uma vez que os pacientes estão aptos para manter relações sadias e tranquilas com seus familiares, amigos e com a sociedade. Contudo, nos casos de internação involuntária, esse processo de reintegração à sociedade ocorre de maneira gradual, para que sejam minimizados os riscos de uma recaída, por parte do paciente.

Considerações Finais
Ao longo deste post foi possível obter informações relevantes quanto as principais etapas da internação involuntária em uma clínica de recuperação em Santa Catarina – SC bem como, quais os procedimentos necessários para solicitá-la legalmente.
A dependência química é uma doença grave, e quando afeta a própria segurança do usuário, é fundamental que a família intervenha e tome ações que protejam a vida do dependente bem como, a daqueles que estão ao seu redor.