(11) 4249-2545 (11) 94797-6909

Como saber se meu marido usa algum tipo de droga?


Como saber se meu marido usa algum tipo de droga?

Como saber se meu marido usa algum tipo de droga: Na verdade, não existe uma fórmula mágica que te ajude a lidar com uma situação desse tipo. Afinal, dependendo da maneira como a pessoa se comporta, ela pode se tornar agressiva ou até mesmo trazer riscos para aqueles ao seu redor. É difícil, principalmente se seu companheiro for o provedor da casa, esses vícios levam a uma desestabilização do orçamento e também dificulta a convivência. Muitas pessoas nesses casos resolvem abandonar o casamento ou o namoro, mas aquelas que persistem, ajudam a pessoa a melhorar e largar finalmente do vicio.

 mudança de comportamento, alguns hábitos anormais e agressividade podem ser a principal causa de preocupação por parte da família e amigos próximos, e um alerta para a suspeita de uso de drogas. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz recentemente, mais de 3,5 milhões de brasileiros consumiram drogas ilícitas em um período próximo ao que foram entrevistados. Além disso, 9,9% dos brasileiros relataram ter usado drogas ilícitas uma vez e 3,1% consumiu cocaína.

O fácil acesso a entorpecentes e a convivência com pessoas que usam drogas são grandes fatores que favorecem o início do uso dessas substância.

A dependência química é um mal que atinge sutilmente um indivíduo, principalmente quando o primeiro contato com as drogas ocorre ainda na juventude. 

Ficar atento a sintomas, reações e mudanças é muito importante, embora não é tão simples identificar quando alguém se torna usuário de drogas. Por isso, separamos algumas dicas de como reconhecer o sintomas de uma pessoa que está usando drogas e como você pode fazer para ajudá-lo.

As drogas são substâncias sintéticas ou naturais que causam alterações no funcionamento do organismo. Além disso, elas modificam a forma como uma pessoa se sente, pensa e até se comporta, levando também a um descontrole de gastos, pois quanto mais a pessoa consome drogas, mais quer consumir e isso tudo leva a um gasto de dinheiro grande, podendo levar a pessoa até a pegar objetos da própria casa para vender e sustentar o vicio.

Sendo assim, caso seu parceiro apresente alguns dos sinais abaixo, é preciso ficar atento, porque ele pode estar fazendo uso de alguma substância química. Veja:

Desmotivação para trabalhar ou estudar;
Mudanças de comportamento;
Inquietação e irritabilidade fácil;
Ansiedade;
Cacoetes;
Alterações bruscas no peso;
Olhos avermelhados;
Troca do dia pela noite;
Perda de interesse em atividades do dia a dia;
Necessidade constante de obter mais dinheiro;
Alterações de humor;
Falta de cuidado com a higiene pessoal;
Há restos de fumo em seus pertences;

Saiba que nem sempre um sinal isolado indica a o uso de substâncias químicas. Fique atenta a um conjunto de sinais, o que pode lhe dar indicações mais confiáveis de que se trata do consumo de drogas.

Veja agora alguns outros sinais apresentados por aqueles que usam uma droga em específico:

Maconha

Excitação;
Tagarelice;
Sonolência;
Aumento do apetite;
Olhos vermelhos;
Alucinações.

Cocaína

Excitação;
Inquietação;
Ansiedade;
Irritabilidade;
Agressividade;
Ideias delirantes sobre as coisas ao seu redor;
Pupilas dilatadas.

Substâncias alucinógenas (LSD e Ecstasy, por exemplo)

Alucinações;
Confusão mental;
Delírios;
Dificuldades para raciocinar;
Atitudes impulsivas;
Atitudes irracionais;
Tremores;
Pupila dilatada.

Crack

Falta de atenção;
Falta de concentração;
Comportamentos atípicos e repetitivos;
Alucinações;
Sensação de perseguição;
Ansiedade;
Queimaduras e bolhas no rosto, dedos, lábios e mãos.

Como lidar com a situação?

Entretanto, a fim de que tudo se normalize o mais rápido possível, é importante oferecer ajuda e insistir nela. Para isso, o primeiro passo envolve a necessidade de seu parceiro assumir o vício, reconhecendo assim que está doente e que precisa de tratamento. Para que ele assuma a situação da vida que está vivendo, é preciso mostrar de forma clara e objetiva, as atitudes que ele está tomando, o emprego que está prejudicado ou perdido se for o caso, a relação com os entes familiares que provavelmente estará estremecida, e assim vai. Nada de gritos ou descontrole fará com que essa conversa seja melhor. É preciso muita paciência, para lidar com o companheiro com essa doença.

 Se você desconfia de que ele faça uso de entorpecentes, converse calma e abertamente sobre isso, sem julgamentos ou grosserias. Lembre-se de que a dependência é uma doença e não uma falha de caráter. É possível que você ainda queira auxiliar o seu marido, por diferentes razões. Mas lembre-se também que ajudar não significa submeter-se a maus tratos e indisciplinas, nem tampouco permitir que seus filhos padeçam ainda mais.

Não hesite em deixar clara a sua preocupação com o consumo de substâncias químicas para que ele saiba o quanto isso já prejudicou e vai continuar prejudicando a vida de toda a família. Procurar ajuda o mais rápido possível é essencial para que não ocorram mais danos, tanto na família quanto na saúde.

Se você optar pelo divórcio, tenha cuidado com os filhos. Ter problemas leves ou moderados com o uso de bebidas alcoólicas, por exemplo, pode não afetar de forma incisiva a decisão de custódia, visto que o juiz fortemente considerará a decisão de custódia dos filhos baseando-se nas consequências nocivas que o consumo de substâncias tem acarretado sobre seus filhos e sobre você. Inclusive, uma Interdição Parcial pode ser aventada em casos de problemas graves como a dependência química do marido e para isso, você precisa ter provas contundentes.

Em casos graves, o juiz pode determinar o cancelamento de visitas pelo pai dependente principalmente quando o pai dependente causa sérios prejuízos aos cuidados dos próprios filhos (recebe os filhos já estando drogado, por exemplo).

Procurando ajuda especializada

Diante de você, há dois cenários. O primeiro e o mais favorável é se ele se dispõe a se tratar. Quando uma pessoa concorda em fazer um tratamento para a dependência química, as chances de sucesso são muito maiores porque ela estará totalmente dedicada à sua recuperação. Mesmo com a fase de desintoxicação que é a mais complicada, a pessoa está focada em se tratar do vicio e pode até colaborar com os profissionais da casa de recuperação.

Assim, é extremamente essencial que haja uma comunicação positiva e vocês podem buscar juntos uma clínica de reabilitação onde será feita uma internação voluntária. Isso facilita as coisas não apenas pela maior adesão ao tratamento, como falamos, mas também porque, nesses casos, o dependente costuma aceitar ir à clínica, conhecê-la e se internar, mesmo sabendo que lá dentro, não poderá consumir droga alguma.

Se, ao contrário, a pessoa não assume que está doente e assim não julga necessitar de tratamento, você precisará tomar uma decisão difícil que envolve interná-la involuntariamente. Leve em conta, nessa decisão, se você acredita que seu parceiro se tornou alguém perigoso para si mesmo, para você e até para seus filhos. Essa internação envolve pegar a pessoa contra a sua vontade, e para isso é necessário força física, que geralmente as clinicas de reabilitação dispõem, de pessoas certas para esses casos.

Muitas vezes, sob o efeito de substâncias químicas, a pessoa com quem você se casou fica irreconhecível e pode colocar em risco e a vida de todos. Nesses casos, internar involuntariamente se torna uma opção a ser considerada. Principalmente se a situação já está insustent&

Agende uma Visita

Contato
Aceitamos diversos planos de saúde consulte
Planos de saúde
Podemos Ajudar?