(11) 4249-2545 (11) 94797-6909

Consumo de maconha diminui dopamina no cérebro


Consumo de maconha diminui dopamina no cérebro

O periódico Molecular Psychiatry trouxe uma pesquisa interessante a se constatar. Segundo os dados levantados, pessoas com altos consumos diários de maconha têm menor liberação de dopamina (neurotransmissor responsável por recompensar prazeres relativos ao dinheiro, alimentação e drogas) se comparada às não fumantes. Outros estudos haviam sido realizados e comprovaram a diminuição da substância após catalogar consumidores de heroína e cocaína. Entretanto é a primeira vez que a maconha é associada à dopamina de forma negativa.

A pesquisa e a coleta de dados

A disseminação da ideia medicinal da maconha motivou a pesquisa realizada pela Universidade Columbia, nos Estados Unidos. A avaliação contou com 23 adultos, de idades entre 21 e 40 anos. Enquanto onze eram declarados fumantes diários e dependentes de maconha, o restante era o chamado grupo de controle, que abrangiam pessoas saudáveis e sem qualquer tipo de vício.

Para que o experimento tivesse êxito, os onze candidatos e usuários precisariam de cinco dias para eliminar o efeito da droga sob a produção de dopamina. Depois do período estipulado, os 23 adultos retornaram para receber doses de anfetaminas que estimulavam a produção de dopamina. Após a dose, todos passavam pela realização de uma tomografia cerebral que expunha os níveis relativos às atividades deste neurotransmissor.

Os resultados da pesquisa

Após os resultados da tomografia serem expostos, percebeu-se uma significativa diferença entre a dopamina liberada nos usuários de maconha e no grupo de controle. A região do corpo estriado (parte do cérebro responsável pelo controle da memória e atenção) fora a mais afetada. Nos fumantes, as quantidades de dopamina em outras regiões do cérebro também eram significativamente menores.

 

Entramos em contato

Aceitamos diversos planos de saúde consulte
Planos de saúde
Podemos Ajudar?